Carros

Há um tempo atrás assisti a um ótimo filme, que apesar de ser voltado ao público infantil nos ensina grandes lições cristãs. Vou falar do filme Carros, uma produção da Disney/Pixar, que vale a pena conferir para entender melhor a presente mensagem.

Logo de início, percebemos que o personagem principal, Relâmpago McQueen, era uma “pessoa” que se achava autossuficiente. Arrogante em todos os sentidos, não venceu inicialmente a corrida porque não ouviu os colegas da equipe. Precisava realizar a troca de pneus, mas não agiu assim, porque acreditava que a sua perícia seria suficiente para vencer a corrida.

Nesse sentido, é o homem também que não ouve a Deus, que não segue os ensinamentos de Jesus. O homem que se acha suficiente sozinho, que não houve a voz do Espírito Santo, estará sempre fadado à derrota, nos momentos cruciais de sua vida.

Tendo em vista a falta de faróis, McQueen ficou perdido na estrada (Rota 66). Os faróis para o personagem representam a luz que direciona nosso caminho. Ele ficou perdido porque não tinha luz para enxergar na escuridão da estrada. Da mesma maneira é a pessoa que não tem a luz de Jesus na sua vida (João 8:12) e fica totalmente entregue às coisas do mundo, seguindo por um caminho muitas vezes sem volta.

Por causa das suas transgressões no trânsito, McQueen foi obrigado a realizar trabalhos forçados na cidade de Radiator Springs, o que o fazia sofrer, porque perdia tempo precioso para a corrida que estava próxima. Da mesma maneira, sempre que não seguimos os caminhos de Deus, estamos sujeitos ao pecado e a erros diversos, o que também nos faz sofrer e nos afasta da Salvação. A falta de atenção às determinações do nosso Senhor nos faz perder um tempo valioso distante do Pai, porque nos mantém afastados dos Seus planos e promessas.

Relâmpago McQueen não teve humildade diante de uma pessoa mais experiente, quando aceitou correr contra o juiz da cidade. Pensou que a corrida estava ganha. Não conhecia a estrada e perigos que ia enfrentar, o que levou a derrota. Assim também é quando não ouvimos a voz de Deus e agimos precipitadamente. Por mais simples que as coisas e decisões possam parecer, se não houver humildade, oração no sentido de buscar a orientação de Deus, as coisas fatalmente darão errado e seremos envergonhados.

O personagem buscava tão somente a glória própria, se preocupava apenas com seus problemas, sem dar a menor importância às pessoas que estavam ao seu lado, por isso, foi abandonado por toda a sua equipe. Da mesma forma somos nós quando ficamos preocupados tão somente com nossas coisas, conquistas e vitórias, quando nosso ego fica maior que nós mesmos. Se esquecemos que tudo que alcançamos é para a glória de Deus e somente por Ele é que temos conquistas, de nada elas valem. Portanto, tudo que alcançamos deve ser exclusivamente para a glória, honra e louvor do Pai das Luzes.

Quando passou a ouvir “a Porsche Sally”, deixou de se preocupar consigo próprio, momento em que descobriu que as melhores coisas da vida não estão necessariamente no luxo. Quando damos ouvidos a voz de Deus, descobrimos a felicidade nas coisas menores da vida. Percebemos que da mesma forma que ocorreu com o personagem, existe um prazer maior em servir do que ser servido. Somente quando McQueen passou a realizar com prazer a tarefa a qual lhe tinha sido confiada é que as coisas começaram a dar certo para ele. Sally agiu com McQueen da mesma forma que o Espírito Santo age nas nossas vidas. Ele orienta, mas, não nos obriga a nada. Temos a opção da escolha. Mas, quando escolhemos agir conforme o Espírito Santo é visível que a escolha foi acertada.

Não importava a dificuldade, Tom Mate, o fiel guincho, estava sempre ao lado de Relâmpago. Acreditava e confiava no potencial do “amigo”. Jamais esperava que o companheiro pudesse decepcioná-lo. Era verdadeiramente puro de coração. De uma forma ainda muito mais profunda é a fidelidade de Jesus em nossas vidas. Isso porque Jesus conhece todas as nossas fraquezas, mas, estará sempre disposto a nos levantar quando cairmos. É nosso verdadeiro amigo para todas as horas.

Enquanto agiu por si só, todas as coisas davam errado para McQueen. A partir do momento que passou a ouvir as pessoas que gostavam dele, tudo se acertou na sua vida. Venceu a corrida final justamente porque confiou na liderança do experiente “Hudson Hornet”. Da mesma maneira, quando reconhecemos que somos falhos, que precisamos ser liderados e nos colocamos sob a total dependência de Deus, Ele nos guia e  proporciona o melhor para nossas vidas. Nos torna vitoriosos em todas as coisas.

Sendo vitoriosos em Cristo Jesus, todos que estão ao nosso lado percebem as mudanças, as transformações que só poderiam ocorrer pela induvidosa ação de Deus em nossas vidas. Da mesma forma foi com McQueen. Ele só não se tornou o vencedor da corrida porque seus valores mudaram por opção própria. Apesar de ter ouvido os conselhos do seu “coach” (Hudson Hornet), que lhe “ensinou” sobre como fazer a curva da forma correta, preferiu abrir mão do primeiro lugar e ajudar o adversário que havia se acidentado a ultrapassar a linha de chegada, o que demonstra claramente que fora transformado. Assim é o verdadeiro cristão quando regenerado em Jesus: abre mão dos seus próprios desejos a favor dos sonhos de Deus.

Por tal transformação, recebeu o reconhecimento e a admiração dos fãs. O mérito existiu não porque Relâmpago era simplesmente veloz, mas, na verdade, porque ele ouviu os ensinamentos de alguém que se preocupava com ele e mudou sua atitude e maneira de pensar. O mérito verdadeiro pertence então a Hornet, assim como o mérito de tudo que acontece em nossas vidas, pertence a Deus Pai, a Deus Filho, Jesus Cristo e a Deus Consolador, o Espírito Santo.

Por fim, há que se mencionar a própria cidade onde se passa o filme, Radiator Springs, que era triste e sem vida antes da chegada de McQueen. Porém, quando houve as mudanças no personagem, ela também foi beneficiada, tendo em vista que com a mudança física da sua “base de treino” para tal cidade, a mesma voltou a ser muito frequentada, o que trouxe vantagens econômicas e novo ânimo aos moradores. Da mesma maneira é com o cristão renascido em Jesus. As transformações se tornam visíveis, o que acaba por afetar positivamente a vida de todas as pessoas que o rodeiam, pois, passa a falar do amor de Cristo para elas, evangelizando e multiplicando as almas salvas para o Reino de Deus.

É ou não é um filme que nos traz preciosas lições de vida?

Pastor Evangélico, Advogado, Conferencista Internacional, Facilitador em Treinamentos Empresariais, Empresário, Life, Executive & Professional Coach, Problogger.

Deixe uma resposta