Diga Não À Preguiça!

“Passei pelo campo do preguiçoso, e junto à vinha do homem falto de entendimento, eis que estava toda cheia de cardos, e a sua superfície coberta de urtiga, e o seu muro de pedras estava derrubado. O que eu tenho visto, o guardarei no coração, e vendo-o recebi instrução. Um pouco a dormir, um pouco a cochilar; outro pouco deitado de mãos cruzadas, para dormir, assim te sobrevirá a tua pobreza como um vagabundo, e a tua necessidade como um homem armado.” Provérbios 24:30-34.

Uma pessoa que é preguiçosa carece de entendimento. É ignorante do que lhe acontece ao redor. Esta pessoa não está mantendo as suas posses em boas condições, e assim a falta de interesse e comprometimento está puxando-a para um estado de desorganização. A perda será o resultado inalterável dos seus atos, porque não faz o suficiente para vencer a inércia.

O Livro de Provérbios tem muito a nos ensinar sobre a preguiça. E esse mal pode ser interpretado tanto pelo lado material quanto espiritual. O ponto chave é que pouco ou nada será produzido pela pessoa que tem aversão ao trabalho.

Muitas pessoas ultrapassam a questão da preguiça quando falamos, por exemplo, dos negócios. Nenhum milionário dirá que conquistou sua riqueza sendo preguiçoso. Pelo contrário, 100 em 100 milionários dirão que é preciso muito trabalho para se ter sucesso profissional. Isso é o que esta passagem em Provérbios 24 está dizendo.

Nos relacionamentos é a mesma coisa. Queremos que nossos relacionamentos sejam ricos e que produzam bons frutos, mas isso só será alcançado com muito esforço da nossa parte. Principalmente nos casamentos, onde é exigido de cada cônjuge quase que completa anulação pessoal a favor do matrimônio, dos filhos, da casa, do outro.

Pessoas seculares entendem esses princípios e os aplicam com sucesso em suas vidas, e prosperam em várias áreas pessoais. No entanto, muitos evitam fazer o mesmo esforço em assuntos espirituais.

Na igreja, essa falta de esforço produz o que pode ser chamado de “Laodiceianismo”. A Igreja de Laodiceia é rica e cheia de bens, o que significa estar fazendo tudo certo no mundo dos negócios, mas não está prestando muita atenção às questões espirituais. Laodiceia é intensa nas coisas naturais, mas fria nas espirituais. Assim, torna-se razoavelmente bem de vida materialmente, mas o Senhor diz que, espiritualmente, é infeliz, miserável, pobre, cega e nua (Apocalipse 3:17).

Precisamos estar atentos às instruções de Provérbios. Sejamos producentes na presença de Deus, para que não seja encontrado em nós o mal de Laodiceia.

—xx—

Se gostou desta mensagem, compartilhe nas redes sociais!!

Pastor Evangélico, Advogado, Conferencista Internacional, Facilitador em Treinamentos Empresariais, Empresário, Life, Executive & Professional Coach, Problogger.

Deixe uma resposta