Escândalo e Loucura

Em Romanos 9:33, lemos: “Eis que ponho em Sião uma pedra de tropeço e rocha de escândalo, e aquele que nela crê não será confundido.”

A maioria dos judeus não pode aceitar que o Cristo (o Messias) das Escrituras hebraicas é o mesmo das cristãs. O “nosso” Cristo é um grande embaraço para eles. E talvez você possa pergutar: por quê? Porque o Messias não poderia (em suas mentes) sofrer o destino de ser crucificado em uma cruz romana. A crucificação era reservada aos piores criminosos. Assim, para os judeus, a ideia de ter um Messias crucificado era escandalosa, inaceitável.

A palavra grega para “pedra de tropeço” é “σκάνδαλον” (skandalon). O nosso “escândalo” é derivado dela. Ao rejeitar a morte do Ungido de Deus sob a direção de Pôncio Pilatos, o judeu (não messiânico, que não crê em Jesus) rejeita o próprio Plano da Salvação. No entanto, este é o plano perfeito e acabado do Deus Triúno para ter seu relacionamento com o homem restaurado. Não há nada além de Jesus, nem antes, nem depois!

Era parte desse plano que Jesus Cristo participasse da história humana: viver uma vida sem pecado; ser humilhado, torturado e morrer em uma cruz, e então, mais tarde, ressuscitar dos mortos. Era necessário que o próprio Deus se humilhasse ao descer à condição humana para realizar o supremo sacrifício (final, consumativo) a favor do homem para que não sofresse condenação. Tal atividade por um Messias judeu era (e ainda é) ofensiva para os incrédulos. Sua recusa em aceitar o Cristo das Escrituras (Isaías 53:3) é claramente afirmada em Romanos 9:33 como uma “pedra de tropeço”. Mas, esse mesmo verso afirma “… e aquele que nela crê não será confundido”.

Por outro lado, a pregação de Jesus (seus ensinamentos, revelações, etc) para os não judeus (os gentios, todos os demais povos da terra), é considerada loucura, segundo 1 Coríntios 1:18. Isso porque para os que não crêem no Cristo Bíblico, esta mensagem de um homem morrer numa cruz a favor de muitos outros é simplesmente absurda e incoerente. Para muitos doutores, filósofos e outras pessoas cultas isso é um insulto à razão e inteligência humana. Certamente tem que haver alguma outra maneira ou algum método grandioso para endireitar todos os erros e absolver os homens de todas as coisas ruins que fazem! Mas, está escrito “destruirei a sabedoria dos sábios e aniquilarei a inteligência dos instruídos” (1 Coríntios 1:19).

Isso significa que o nosso pensar, o nosso entender e as nossas ciências não significam nada para Deus. Ora, uma criança pode opinar em assuntos que lhe fogem completamente à compreensão? Afinal de contas Ele é o Criador e faz as regras segundo a Sua sabedoria. Tudo que para nós faz sentido é como uma visão turva de uma microscópica parte do todo. Por isso, entendo ser tola a pretensão humana em querer entender a grandiosidade de Deus além daquilo que Ele revelou pela Sua Palavra, transcrita na Bíblia. Isso sim é loucura!

Jesus é, sem dúvida, uma pedra. Jamais de tropeço, mas uma rocha de salvação. Ele disse que construiria sua Igreja sobre essa Rocha, querendo dizer que a construiria sobre si mesmo, muito bem fundamentada, inabalável. E a promessa é que as portas do inferno não prevalecerão contra ela (Mateus 16:18). Glória a Deus!

Amém.

Pastor Evangélico, Advogado, Conferencista Internacional, Facilitador em Treinamentos Empresariais, Empresário, Life, Executive & Professional Coach, Problogger.

Deixe uma resposta