Esperança

“1 Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo; 2 Pelo qual também temos entrada pela fé a esta graça, na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperança da glória de Deus. 3 E não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a paciência, 4 E a paciência a experiência, e a experiência a esperança. 5 E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado.” Romanos 5:1-5.

Observe que a palavra “Esperança” aparece 3 vezes nesses versos, e não está ligada tão somente às portas espirituais que se abrem para nós.

Repare que no versículo 2 o mover de Deus nos traz esperança, que por sua vez nos leva a alegrar-nos na certeza de que podemos olhar para a frente, em franca expectativa pela glória do Altíssimo! O que é muito mais que uma fantástica motivação para nós! O texto não fala de uma simples e passageira glória humana, mas da manifestação da glória de Deus nas nossas vidas. Talvez isso possa parecer um pouco difícil de imaginar, já que nossa mente não consegue chegar tão longe.

É de se admirar que os cristãos possam ser otimistas sobre a vida futura com Cristo face a todo o mal pelo qual somos constantemente bombardeados. Mas a recompensa do que está por vir é tão grande que todo o fardo do ser humano, tais como lidar com nossos pecados e as repercussões dos pecados dos outros, fica incrivelmente mais leve.

A nossa esperança não decepciona ou leva-nos à vergonha, muito antes pelo contrário, porque se baseia na realidade sobrenatural de Deus e Suas promessas. As esperanças comuns dos homens podem ou não vir a acontecer, porque todas se baseiam em meras hipóteses e, em muitos casos, totalmente falsas. No entanto, a esperança do crente não se baseia em fantasias, porque está firmemente ancorada na Pessoa do Único e Verdadeiro Deus Criador, na Pessoa de Jesus Cristo, que eternamente zela pelo cumprimento de Sua Palavra (Jeremias 1:12).

Como mencionado anteriormente, a atividade de Deus em nosso meio produz, entre outras coisas, esperança. Esse mover nos é apresentado de várias formas, inclusive, no que toca as situações dos versos 3 e 4.

Paulo nos afirma que as provas suportadas quando Deus é parte de nossas vidas, produz paciência, experiência e esperança. Devido a essa esperança em nós que eventuais falhas ou aparente fracassos não nos deixam abatidos ou constrangidos, porque Deus, que é a nossa esperança, nunca falha nem nos deixa sós. E acima de tudo, Ele está no controle de todas as coisas (Isaías 43:13).

Deus nos ama, e comunica Seu amor por nós por meio de Sua Inigualável e Poderosa Palavra. NEla, podemos conhecer a Sua fidelidade. E quanto mais nosso amor e admiração por Ele cresce, mais essas promessas nos motivam a purificar-nos para sermos como Ele É.

“Vede quão grande amor nos tem concedido o Pai, que fôssemos chamados filhos de Deus. Por isso o mundo não nos conhece; porque não o conhece a ele. Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifestado o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é o veremos.” 1 João 3:1-2.

Pastor Evangélico, Advogado, Conferencista Internacional, Facilitador em Treinamentos Empresariais, Empresário, Life, Executive & Professional Coach, Problogger.

Deixe uma resposta