Jesus é Cordeiro, Mas Também é Leão

Em João 1:29, está escrito: “No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.”. Em Apocalipse 5:5 encontramos:  “E disse-me um dentre os anciãos: Não chores; eis que o Leão da tribo de Judá, a raiz de Davi, venceu para abrir o livro e romper os sete selos.”.

Em ambos os versículos, a Palavra faz referência a mesma pessoa: Jesus Cristo. Mas, como ele pode ser Cordeiro e Leão ao mesmo tempo? Para conhecê-lo plenamente, em toda sua complexidade, é preciso entende-lo tanto como Leão quanto Cordeiro.

Por que precisamos dessa visão equilibrada de Jesus como Leão e Cordeiro? Por que isso é importante? Quais são os perigos de dar a Ele ênfase exclusiva de Leão, ou apenas como Cordeiro? Como pode a verdade bíblica sobre o caráter de Jesus ser distorcida por não manter em equilíbrio essas duas personalidades?

Para que possa ter uma ideia, vamos dar uma visão sobre Jesus apenas como Leão: “Ele virá como um Leão para julgar os meus inimigos. Ele vai me proteger, e vingar-se de todos que me prejudicaram. Então os que me fizeram mal verão quem é o meu Deus!”.

Sem dúvida Ele virá para cuidar e proteger os Seus. Não há dúvida também que Jesus seja forte, imponente e majestoso como um leão, mas será que ele voltará para nos vingar dos nossos inimigos?

Esta é uma visão falsa. Este ponto de vista particular era característico dos judeus do primeiro século. Eles esperavam um Messias político, que os libertasse da opressão imposta por Roma. Eles odiavam os romanos, e viam sua libertação política sendo possível apenas por um novo líder nos moldes de Davi: guerreiro, carismático, sábio e vitorioso. Assim, quando Jesus veio como um simples e humilde Cordeiro, eles não O reconheceram. Esse foi o erro dos judeus contemporâneos de Jesus.

Considere também os emblemáticos Cavaleiros Cruzados na Idade Média. Eles colocavam a Jesus como sendo o motivo para derrotar os infiéis que tinham o controle sobre Jerusalém. Nessa empreitada não importava o quão horrível fosse o seu comportamento, não importava o quão covardemente tratavam as pessoas e quanto sangue fosse derramado, pois enxergavam a Jesus como sendo um Leão a vingar-se de todos os seus inimigos.

E como podemos adaptar essa visão distorcida para os dias de hoje? Podemos enxerga-la nas pessoas que muito frequentemente afirmam que Deus está do lado de um partido político, em um candidato a cargo público ou numa placa de Igreja. Esta visão pode ser encontrada sempre que pensamos, “eu sou um bom crente, porque jejuo, oro 14 horas por dia, faço caridade, estou o tempo todo na Igreja e, por isso, sou melhor que os outros, assim, Deus é contra os que não gostam de mim”. Na mão dessas pessoas, é como se Deus fosse uma ferramenta, um instrumento usado para exercer seu poder e efetuar seus propósitos. E sempre que se lembra dos seus inimigos, espera que Jesus, o Leão da Tribo de Judá, venha pessoalmente lutar contra eles.

Mas devemos nos lembrar que Jesus é o Leão, mas também o Cordeiro! Ele é o Cordeiro que foi morto por seus inimigos! Devemos nos lembrar que a principal intenção de Jesus é conquistar seus inimigos com amor, e não com poder, força ou violência. Ele deseja trazer seus inimigos para si por meio do testemunho de Sua Graça. Ele pode fazer dos inimigos amigos por meio de Sua morte! Por isso Ele disse “amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem” (Mateus 5:44). Essa deve ser a forma pela qual os seus inimigos conheçam o seu Salvador: como Cordeiro!

Da mesma forma, a visão exclusiva de Jesus como um Cordeiro gentil também é equivocada.

Os que têm esse pensamento, frequentemente dizem algo como “Jesus é o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo! Ele morreu para dar vida aos seus inimigos! Ele é tão gracioso, tão amável, tão indulgente! Ele é a perfeita revelação do amor de Deus!”.

“O Cordeiro não pode fazer mal a ninguém. Ele é o Sacrifício Perfeito e veio para perdoar, não condenar. Ele pode disciplinar as pessoas, corrigi-los, mas não creio que vá mandar alguém para o inferno por toda a eternidade! Isso é incoerente e uma visão ultrapassada. Esta é a verdadeira revelação: O Cordeiro morrendo e o perdão de Deus disponível a todos!”.

Há verdade nessa visão? É claro que sim! Jesus é o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, essa verdade é indiscutível. Ele é misericordioso e clemente. Ele veio para servir e morreu voluntariamente para ser um substituto para o homem pecador. Ele é o Redentor de todos os que vêm a Ele com fé.

Mas como dissemos, devemos equilibrar as visões, lembrando que Jesus é também um Leão! E como precisamos que esta imagem de Jesus como Leão esteja viva em nossas mentes!

Em Apocalipse temos imagens poderosas de um Jesus que aplica a justiça de Deus: no capítulo 2:16 somos incitados ao arrependimento “ou se não, virei a ti em breve, e contra eles batalharei com a espada da minha boca.”. Já no verso 23, Ele diz que “todas as igrejas saberão que eu sou aquele que esquadrinha os rins e os corações; e darei a cada um de vós segundo as suas obras.”.

Jesus é amoroso, bondoso, perdoador e misericordioso como um Cordeiro. Glória a Deus! Mas é também o Justo Juiz, que cumpre as Suas promessas, elimina Seus inimigos e defende a honra de Deus.

É preciso que O conheçamos em Sua totalidade! Somente assim poderemos realmente entender que nenhuma descrição humana é suficientemente grande para a majestade da Sua glória!

Pastor Evangélico, Advogado, Conferencista Internacional, Facilitador em Treinamentos Empresariais, Empresário, Life, Executive & Professional Coach, Problogger.

Deixe uma resposta