O Alcance da Palavra “Andar”

O texto a trabalhar nesta reflexão está em 1 João 1:7, que diz “mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus seu Filho nos purifica de todo pecado.”.

Nós sabemos perfeitamente o significado da palavra “andar”. Ela implica no modo como conduzimos nossas vidas. A carta de João é visivelmente destinada à Igreja, e ele instrui os irmãos na fé a serem companheiros na caminhada na luz. Esta é a forma ideal para termos comunhão uns com os outros.

O contexto desta instrução é bastante interessante. A nossa fé se concentra fortemente na crença no perdão dos pecados que ocorre no início da salvação. É necessário que a pessoa aceite a Jesus Cristo como Senhor e suficiente Salvador de sua vida. Uma vez feito isso é considerada “salva” e “nasce de novo”. A doutrina da salvação continua nesse sentido, isto é, sempre que ocorre arrependimento de pecados, a salvação está assegurada na vida daquele que crê. Por isso a ênfase no arrependimento sincero e pedido de perdão, acompanhados da mudança de vida.

No entanto, observe este versículo em seu contexto. João escreve: “… se andarmos na luz…”. Mas o indivíduo não pode andar na luz de Cristo até que seja chamado e convertido. Assim, esta caminhada ocorre após a sua conversão. Ele continua: “… se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão…”. A irmandade depende do que fazemos após o arrependimento inicial. Amós escreve, “Acaso andarão dois juntos, se não estiverem de acordo?” (Amós 3:3). Se não houver o acordo sobre a salvação em Jesus, essa caminhada em comunhão simplesmente não pode existir. Não temos comunhão espiritual com as pessoas que não O aceitaram. A concordância é enfatizada pela maneira que conduzimos as nossas vidas, pela maneira que nos comportamos dentro do nosso sistema de crenças.

E o versículo termina da seguinte forma “… e o sangue de Jesus seu Filho nos purifica de todo pecado.”. Esta frase, no contexto, é o cheque mate. O apóstolo nos ensina que a nossa limpeza espiritual, ou seja, o perdão depende da nossa obediência a Deus depois de convertidos e desejosos em “andar na luz”. Nesse caso, “andar na luz” é sinônimo de ser obediente e viver dignamente segundo os preceitos do Senhor.

Com tudo isso, aprendo que a salvação é um processo. O que temos que entender aqui é que o perdão, a limpeza e até mesmo a comunhão não é definitiva em nossas vidas, mas um caminhar diário, um crescimento gradual em graça e conhecimento na Palavra, assim como a mudança de caráter.

E se pensarmos bem, chegaremos à conclusão de que a limpeza é também gradual, e está diretamente ligada a minha renúncia às minhas vontades a favor da vontade de Cristo. Então, ao andarmos com Jesus, caminharemos na luz, teremos comunhão e o Seu sangue nos purificará de toda nossa sujeira.

E você, quão clara tem sido a sua caminhada?

Pastor Evangélico, Advogado, Conferencista Internacional, Facilitador em Treinamentos Empresariais, Empresário, Life, Executive & Professional Coach, Problogger.

Deixe uma resposta