O Dom de Falar em Línguas é Realmente Importante?

Em 1 Coríntios 12, o apóstolo Paulo nos dá um guia básico sobre os nove Dons do Espírito Santo: sabedoria, conhecimento (ou ciência), fé, cura divina, milagres, profecia, discernimento de espíritos, variedade e interpretação de línguas. Pelo fato dos dons de falar em línguas e sua interpretação terem sido colocados em último lugar, alguns têm entendido  este fato como sendo uma demonstração de que esses dois dons são menos importantes em relação aos demais, e que não se deve realmente se preocupar com eles. No entanto, com o devido respeito e sem querer polemizar, respondo que esse argumento se baseia em uma abordagem inconsistente da interpretação bíblica.

O fato de existir uma ordem cronológica em uma listagem não implica necessariamente numa indicação de importância entre os elementos. Isso é especialmente verdadeiro quando deparamos com o texto de 1 Coríntios 12.

Um exemplo do que falamos pode ser encontrado em 1 Coríntios 13:13. Paulo nos diz que a fé, a esperança e o amor permanecem, mas o maior deles é o amor, apesar de estar listado em último lugar. Da mesma forma, a lista das obras da carne, atividades pecaminosas registrada em Gálatas 5:19-21, o assassinato (homicídio em outras traduções) é nomeado perto do fim da lista. Mas todos sabemos que matar alguém é um pecado gravíssimo. Ou, se colocado de outra forma, pode-se dizer que o homicídio é um pecado menos grave do que a prostituição? A resposta mais coerente me parece ser não.

Paulo definitivamente não vê o falar em línguas como sendo algo sem importância ou menos importante que os demais dons. Na verdade, ele dedica um capítulo inteiro na Bíblia para ensinar sobre o assunto (1 Coríntios 14). Neste capítulo, ele diz aos crentes de Corinto que ele deseja que todos falem em línguas (versículo 5), e que, graças a Deus, ele fala em línguas mais do que todos eles (verso 18)!

Por três vezes nas Escrituras somos exortados a procurar (prosseguir com paixão) os Dons do Espírito Santo, incluindo línguas (1 Coríntios 12:31; 14:1 e 39, a mesma palavra grega é usada em todas essas passagens). Se alguma ressalva há que se fazer é apenas relativamente ao amor, este sim, fundamental na Igreja de Cristo. Mas que, de forma nenhuma, exclui os demais.

Minimizar a importância ou desonrar qualquer dos dons de Deus é o mesmo que diminuir o próprio Deus. E o nosso conselho é: jamais caia nessa armadilha.

E você, qual a sua interpretação sobre o dom de falar em línguas? Já passou por essa maravilhosa experiência?

–x–

Se você acompanha e gosta do nosso blog, considere compartilhar esta mensagem nas redes sociais!

Pastor Evangélico, Advogado, Conferencista Internacional, Facilitador em Treinamentos Empresariais, Empresário, Life, Executive & Professional Coach, Problogger.

Deixe uma resposta