O Que o Afasta da Salvação?

A Bíblia narra uma passagem em que um jovem rico aborda Jesus e pergunta o que teria que fazer para alcançar a vida eterna (Mateus 19:16-22). O Mestre responde que deveriam ser observados os mandamentos, tais como não matar, não adulterar, não furtar, não dar falso testemunho, honrar pai e mãe, e amar ao próximo como a si mesmo.

Ao ouvir isso, o jovem se ensoberbece e diz que tudo aquilo já lhe era praxe observar. Queria saber se havia ainda algo mais que o Senhor pudesse lhe acrescentar e que não lhe fora antes revelado.

Jesus sabia o que faltava àquele homem e então o confronta de uma forma que certamente ele não esperava. Disse o Messias: “se queres ser perfeito, vai, vende os teus bens, dá aos pobres e terás um tesouro no céu; depois, vem e segue-me” (Mateus 19:21).

Ao ouvir essa instrução, creio que o semblante do jovem caiu imediatamente, no mínimo ficou em estado atônito, pois, finalmente compreendeu o que o separava do amor de Deus: os seus bens materiais. Tanto é verdade que ele retirou-se triste, sem dizer nenhuma outra palavra, porque era dono de muitas propriedades (Mateus 19:22).

O primeiro entendimento que nos vem a cabeça é que o dinheiro é o separador de águas, o que define os salvos daqueles que perecerão. No entanto, essa conclusão é equivocada, por ser demais superficial. De fato, em nenhum lugar da Bíblia, Deus condena uma pessoa pelo simples fato de ser rica.

Não é o volume da conta bancária que diz quem está mais próximo do Senhor. Não é também o mero desprendimento ao dinheiro suficiente para mostrar quem terá herança no Reino. O que realmente faz a diferença é muito mais profundo e significativo: qual a verdadeira posição que Deus ocupa na nossa vida? O que somos capazes de abandonar pelo Nosso Senhor?

O maior de todos os mandamentos está em Mateus 22:36-38, “Mestre, qual é o grande mandamento da Lei? Respondeu-lhe Jesus: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento”.

Se observar bem, verá que Jesus omitiu justamente o mais importante de todos os mandamentos quando se dirigiu ao seu interlocutor. Mas, uma coisa é citar, teorizar sobre os mandamentos, outra, colocá-los em prática. Uma coisa é a suavidade das palavras, outra, o peso da ação. Se Jesus houvesse simplesmente mencionado o primeiro dos mandamentos como fez com os demais, o jovem certamente teria usado da mesma argumentação para se defender, dizendo que era fiel cumpridor da Lei. Mas, quando levado a ação, não poderia apenas argumentar, teria que tomar uma de duas posições possíveis: agir conforme a instrução dada ou simplesmente recuar. Ele preferiu a segunda opção.

Ao se aproximar de Jesus, o jovem rico fingiu ser uma pessoa que não era. Assim como a grande maioria das pessoas de sua época, tentou apresentar para o Senhor e para os que mais o ouviam uma falsa imagem de santidade e perfeição. Mas, como Deus vê o que está em nossos corações (1 Samuel 16:7), Jesus trouxe à tona o que estava escondido no mais profundo daquele homem.

Dizer que ama a Deus é fácil para qualquer um. Mas, como Jesus veio para quebrar os antigos paradigmas, Ele demonstrou que assim como foi para com o jovem rico, sempre existirá da nossa parte, algo que irá nos separar de Deus. A nossa natureza é assim.

Talvez, no seu caso, não seja o dinheiro, mas, pode ser algum vício ou defeito como a autossuficiência, a ambição, a arrogância, intolerância, falta de caráter, incredulidade, a mentira, preguiça, o orgulho, a ganância, a inconstância, avareza, a gula, a ira, traição, inveja, a falta de perdão, o preconceito, entre tantos outros que poderiam ser citados. Dizer que ama a Deus é muito fácil, mas, a questão é: você seria capaz de vencer o seu pior defeito e mudar a sua própria estrutura por amor a Ele?

Por isso é que a salvação não vem por obras. Porque por melhor que uma pessoa seja, sempre haverá algo, por mais escondido que esteja, que ela não será capaz de entregar totalmente, mesmo que para aproximá-la ainda mais de Deus.

É exatamente nesse ponto que se reforça a salvação pela Graça, o favor imerecido de Deus para conosco. É aqui que entra a aceitação do sacrifício de Jesus no nosso lugar. O sangue do único Justo e Perfeito Homem em troca de todos os demais.

Portanto, se deseja a vida eterna, se deseja ser perfeito, entregue-se totalmente ao Senhor Jesus. Faça a sua parte, porque Ele já fez a dEle.

Pastor Evangélico, Advogado, Conferencista Internacional, Facilitador em Treinamentos Empresariais, Empresário, Life, Executive & Professional Coach, Problogger.

2 ideias sobre “O Que o Afasta da Salvação?

  1. Largar o vicio

    Pastor Claúdio eu sou Evangelista e quero deixar o vicio do tabaco só que ao tentar deixar o vicio começo a desmaiar com a Epilépsia por favor me ajude em oração com isto vou terminar com os meus comprimentos Hermínia Adeus até á resposta

    Responder
    1. Cláudio Corgozinho Autor do post

      Olá, Hermínia, a paz!

      A Palavra de Deus nos garante que em todas as coisas somos mais que vencedores com Jesus Cristo. Ele continua a libertar os cativos. Peça ao Espírito Santo com fé que Ele lhe ajudará a se libertar desse vício terrível que acaba com sua saúde. Lembre-se que não existe tentação senão humana, e que nela, o Senhor lhe dá o escape.

      Eu creio na sua libertação, em nome de Jesus. Faça sua parte, seja firme no propósito de não fumar que o Senhor nunca mais permitirá a epilepsia.

      Fique na paz do nosso Senhor Jesus!

      Responder

Deixe uma resposta