A Santidade do Casamento

Portanto, se o teu olho direito te escandalizar, arranca-o e atira-o para longe de ti; pois te é melhor que se perca um dos teus membros do que seja todo o teu corpo lançado no inferno. E, se a tua mão direita te escandalizar, corta-a e atira-a para longe de ti, porque te é melhor que um dos teus membros se perca do que seja todo o teu corpo lançado no inferno. Também foi dito: Qualquer que deixar sua mulher, dê-lhe carta de divórcio. Eu, porém, vos digo que qualquer que repudiar sua mulher, a não ser por causa de fornicação, faz que ela cometa adultério, e qualquer que casar com a repudiada comete adultério. Mateus 5:27-32.

Esta instrução pessoal de Jesus dada no Sermão da Montanha é exatamente o que Ele falou a Seu servo Moisés, para ser repassado à Israel (“Não adulterarás” – Êxodo 20:14).

Em ambos os casos somos ensinados que o casamento é permanente, como a vontade de Deus para nossas vidas. Deus não muda seus preceitos, não se moderniza, muito menos se “dobra” a modismos e desejos humanos.

Os laços de ligação criados no matrimônio só são desfeitos com a morte ou com a infidelidade física. Extensivamente a isso, podemos acrescentar o abandono moral e o abuso sofrido por qualquer dos cônjuges, o que também caracteriza, em termos mais amplos, a infedelidade, a falta de cuidados e amor conjugal.

Os fariseus tentaram testar Jesus neste ponto, mas sua resposta não deixa dúvidas sobre a forma como o elo da instituição do casamento deve ser, de forma a corresponder às expectativas e padrões do nosso Criador.

Jesus lhes disse: “Não tendes lido que aquele que os fez no princípio macho e fêmea os fez, E disse: Portanto, deixará o homem pai e mãe, e se unirá a sua mulher, e serão dois numa só carne? Assim não são mais dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem.” Mateus 19:4-6.

Essa Passagem também demonstra que o casamento foi criado para unir homem e mulher. É algo sagrado, como nenhuma outra instituição, adaptação ou tentativa de alteração elaborada pelos homens poderá ser um dia.

Este mundo, como tenta fazer com tantas outras coisas, tem lutado para trocar a santidade do casamento pelo seu completo oposto, o profano. Mas esta abordagem secular baseada no egoísmo do homem e sua rebeldia diante da Vontade de Deus nunca produzirá uma sociedade saudável. É simplesmente impossível.

Que a paz que excede a todo entendimento seja sempre na sua vida, em nome de Jesus!

Pastor Evangélico, Advogado, Conferencista Internacional, Facilitador em Treinamentos Empresariais, Empresário, Life, Executive & Professional Coach, Problogger.

Deixe uma resposta