Senhor, Ensina-nos a Orar

Certa vez um discípulo chegou a Jesus e lhe pediu: “(…) Senhor, ensina-nos a orar (…)” (Lucas 11:1).

Lucas menciona que Jesus estava orando em determinado lugar (11:1), quando os discípulos aproximaram-se e o questionaram a respeito da oração. Certamente o testemunho de vida com Deus do Senhor lhes confrontou uma falta que eles desejavam sanar. Vendo a deficiência das suas orações, foram humildes o suficiente para pedir ajuda. Embora a necessidade de orar seja natural para todos os que creem, a fraqueza humana clama por Jesus para que nos ensine a orar.

Quando oramos, temos o privilégio de estar em comunhão direta com Deus. Ele deseja que nós o conheçamos. À medida que crescemos em oração, descobrimos que ela é mais do que simplesmente pedir coisas, um meio para um fim egoísta. A oração jamais deve ser uma tentativa de forçar a mão de Deus, mas um ato de submissão a Ele, com o entendimento de que as Suas respostas são mais sábias do que as nossas petições. Mesmo que nunca venhamos a receber nada, devemos ter em mente que a oportunidade de estarmos ligados ao Trono é suficiente para suplantar quaisquer necessidades, tanto espirituais quanto materiais.

Para muitas pessoas, o modelo de oração ensinado por Jesus é um simples recitar de palavras, o que não é verdade, pois ausente a essência de sua finalidade. A oração mecânica é vazia e sem sentido. Mas, a verdade é que o modelo deve ser entendido como uma conversa informal entre um filho e seu Pai Celestial, uma experiência para mudança de vida. Além disso, Jesus nos orienta a não usar “vãs repetições, como os gentios; porque pensam que pelo seu muito falar serão ouvidos” (Mateus 6:7). Todas as petições no modelo de Jesus estão no modo imperativo em seu original grego, o que indica intensidade nas palavras. A oração é um modo de ação na vida do crente, uma forma de agir contra tudo que lhe aflige. Tão certo quanto o ar que respiramos, Deus manifesta o Seu querer em resposta a Ela. E por isso, há mais poder na oração que em todos os exércitos do mundo.

Um fato curioso é que Jesus nunca falou sobre a postura correta para a oração. Também não abordou a questão do lugar em que deveria ser feita, o que nos leva a crer que ela sempre terá o mesmo efeito, independentemente de onde for realizada. Podemos orar no templo, mas devemos ter em mente que nós somos a Igreja, uma espécie de santuário portátil. Portanto, óbvio que podemos orar enquanto conduzimos o automóvel. Também não delimitou o tempo, o que sugere caber em qualquer momento, em qualquer circunstância. Inclusive, segundos são suficientes para uma oração específica e completa. E ao vivermos em um estado consciente na presença de Deus, passamos a reconhecê-lo ao nosso redor, em tudo que fazemos.

A oração não é um presente especial para um grupo seleto. Todos os que confiam em Jesus para serem salvos podem conversar com Deus baseados no exemplo que Ele ensinou. A verdadeira oração não é alcançada pelo esforço humano, mas também é um dom de Deus. Dom é presente e faz parte do pacote da graça. Se somos seguidores de Cristo e queremos aprender a orar, Ele está pronto a nos ensinar.

–x–

Se você acompanha e gosta das nossas mensagens, considere compartilhá-las nas redes sociais com os botões abaixo!

Pastor Evangélico, Advogado, Conferencista Internacional, Facilitador em Treinamentos Empresariais, Empresário, Life, Executive & Professional Coach, Problogger.

Deixe uma resposta