Virtudes

Em Colossenses 3:12-14, Paulo nos ensina sobre algumas virtudes. Meditemos: “Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de coração compassivo, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade, suportando-vos e perdoando-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outro; assim como o Senhor vos perdoou, assim fazei vós também. E, sobre tudo isto, revesti-vos do amor, que é o vínculo da perfeição.”

Podemos dizer sem medo de errar que Paulo coloca o amor acima de tudo, mostrando que nesse sentimento estão resumidas todas as demais virtudes. Curioso observar que o amor tem tal importância que é considerado como “vínculo”, algo que liga e mantém as coisas funcionando. O amor em Cristo entre os irmãos é o que os mantém juntos em uma congregação.

Eventualmente, todas as pessoas pertencentes a grupos tendem a voar em separado, tomar decisões sozinhas, formar pequenos grupos (ou “panelas”) segundo interesses em comum. Fora do amor e submissão ao senhorio de Jesus, as pessoas tendem a fazer as coisas para benefício próprio. Por outro lado, só é possível a um grupo manter a sua unidade se entre os membros houver uma causa comum. Quando cada membro contribui para a manutenção dessa causa, a unidade é geralmente mantida. No entanto, mesmo que os indivíduos se esforcem para se manterem juntos, os atritos surgem a partir de uma infinidade de razões. Mas, um grupo alimentado pelo amor de Cristo consegue se manter unido, mesmo frente as adversidades. E isso só é possível porque cada pessoa deixa de vislumbrar os benefícios pessoais e concentra suas ações nos exemplos de Jesus.

Curiosamente, qualidades que normalmente pensamos ser viris, como coragem, determinação e agressividade faltam na lista de Paulo. Embora não sejam inerentemente más, elas trabalham diretamente no ego humano, e muitas vezes resultam em individualismo grosseiro, oposto a tudo que foi ensinado por Jesus. Justamente porque a tendência do individualismo é a divisão, jamais poderiam fazer parte desta lista. Sem um forte controle espiritual sustentado pelo exemplo do amor de Jesus por nós, essas virtudes tendem a descer a níveis meramente carnais como competitividade, ira, cólera, malícia, dissimulação, acusação e calúnia. Redundantemente, não são nada além das consequências do individualismo.

As virtudes listadas por Paulo são na verdade formas de expressão do amor, traços que tornam possível aos homens viver em harmonia uns com os outros. Alguns poderiam dizer que nos dias atuais é impossível a manifestação daquelas virtudes sem que fossem confundidas como sinais de fraqueza. Nada mais equivocado, porque é preciso ser muito forte para resistir aos impulsos naturais e fazer o que Deus espera de nós enquanto novas criaturas em Cristo Jesus.

E você? Que virtudes têm se manifestado em sua vida: espirituais ou humanas?

Pastor Evangélico, Advogado, Conferencista Internacional, Facilitador em Treinamentos Empresariais, Empresário, Life, Executive & Professional Coach, Problogger.

Deixe uma resposta